Normas para Publicação

NORMAS PARA PUBLICAÇÃO

1 – Informações Gerais: A Revista ACTAS FREUDIANAS é uma publicação anual de trabalhos originais na área temática da Psicanálise. Está aberta aos seguintes tipos de produção científica: artigos, resenhas críticas sobre obras publicadas na atualidade, discussão de pesquisas, comentários sobre debates e entrevistas, estudos de casos clínicos e outros que se alinhem ao estudo da Psicanálise. As contribuições devem ser originais, isto é, não podem ter sido já publicadas, mesmo com pequenas reformulações ou acréscimos, em outro veículo de divulgação científica do país.
Os trabalhos recebidos serão objeto de avaliação preliminar pela Comissão Editorial no que tange ao enquadramento às normas de publicação da revista de acordo com os seguintes critérios: originalidade, clareza na apresentação, concatenação lógica das idéias e estrutura ortográfica e gramatical. O passo seguinte consiste na retirada do nome do autor ou autores para que o texto seja enviado a três membros pareceristas do Conselho Científico e quando se fizer necessário será apreciado por consultores Ad hoc. A Comissão Editorial comunicará ao autor os três pareceres sobre o seu trabalho. Serão devolvidos aos autores apenas os trabalhos indicados para publicação que requeiram pequenas ou significativas modificações. A aprovação dos textos pelo Conselho Editorial implica a cessão imediata dos direitos autorais, sem qualquer ônus dos direitos de publicação neste periódico, que terá exclusividade de publicá-lo. Não obstante, o autor detém os direitos autorais para publicações posteriores.

2 – Condições para o envio dos originais: O autor deve enviar o trabalho, em três cópias impressas e uma em CD, digitado no formato seguinte: fonte Times New Romam, corpo de letra tamanho 12, papel A4, margem de 3 cm e espaço duplo. Os originais (cópias impressas e CD), devem ser acompanhados de uma carta de encaminhamento, em que o autor, ou autores, ateste(m) que não vai de encontro às normas éticas da profissão. Haverá comunicação de recebimento dos originais. Solicitamos que os originais devem ser apresentados na seguinte disposição:
Folha de rosto contendo: a) Título em português e em inglês com, no máximo, quinze palavras. b) Sub-título (se necessário) de, no máximo, cinco palavras. c) Nome do autor ou dos autores e filiação institucional. d) Endereço eletrônico e completo para correspondência.
Folha de rosto não identificada contendo: a) Título em português e em inglês. b) Sub-título em português e inglês.
Resumos: a) Resumo, em português, com, no máximo, 150 palavras. b) Palavras-chave, em português, (três). c) Abstract (versão inglesa do resumo). d) Keywords (versão inglesa das palavras-chave).

3 – Sobre a estrutura do texto: O texto, iniciado numa nova página tendo apenas o título em português, deve conter de 20 a 25 laudas. As notas de esclarecimento, quando necessárias, deverão constar no pé de página, por algarismos arábicos, ao longo do texto e constarem em página separada, numa sessão que antecede as referências bibliográficas. Evitar, sempre que for possível, a utilização de citações secundárias, principalmente, quando se tiver acesso à fonte original.
4 – Referências Bibliográficas No corpo do texto indicar o nome do autor e o ano de publicação da obra. Exemplo: (ECO, 2000). Quando se tratar de obras cujo ano da publicação original é relevante indicá-lo acrescido do ano da publicação em pauta.
Exemplo: (FREUD, [1924], 1976). No caso de haver coincidência de datas de publicação, diferenciá-las pela utilização de letras. Exemplo: (FREUD, [1915]a, FREUD, [1915]b….)
112
As referências bibliográficas, em espaço duplo, deverão constar em uma nova página, dispostas em ordem alfabética pelo último nome do autor em letras maiúsculas. Cada referência abre um parágrafo.
5 – Citações As citações textuais, com menos de três linhas, deverão vir entre aspas ou em intálico e serem mantidas no corpo do texto com a indicação do autor, ano de publicação e página. Exemplo: “O Supereu não se reduz à voz interior da consciência, mas à grande voz insensata e inaudível” (RABANEL, 1999:21). Quando o nome do o autor fizer parte da sentença, grafar apenas a primeira letra maiúscula. Ex: Cf indica Freud (1905/1976) a sexualidade… Quando o(s) nome(s) do(s) autor(es) estiver(em) entre parênteses, todas as letras são grafadas em maiúscula. Ex: Valemo-nos da seguinte exortação: “As histéricas sofrem de reminescências” (FREUD e BREUER, 1893/ 1976:37). Finalmente, quando os autores fizerem parte do texto numa citação literal segue-se a primeira regra. Ex: Freud e Breuer (1893/1976:37) admitem que “as histéricas sofrem de reminescências”. Citações textuais com mais de três linhas deverão aparecer em destaque, fora do corpo do trabalho, em margens diferenciadas a esquerda apenas. As citações devem ser indicadas pelo autor, ou autores, ano de publicação da obra que se refere, seguido de dois pontos e o número da pagina. Exemplo: (ASSOUN, 1998:251); (PRIGOGINE e STENGERS, 1984:21). As citações de livros de outros idiomas devem ser traduzidas para a língua portuguesa, com a nota indicativa de ser uma tradução do autor do trabalho. Os artigos com mais de três autores, devem constar, na citação, o sobrenome do primeiro autor seguido da expressão et al. e data. Na sessão ”referências bibliográficas”, todos os nomes dos autores deverão estar relacionados.
6 – Exemplos de referências bibliográficas Utilizar as normas da ABNT para indicação de livros, artigos de livro, artigos de periódicos e capítulos de livro conforme a ilustração seguinte:
Livros: BAAS, B. O desejo puro. Rio de Janeiro: Revinter, 2001. DERRIDA, J. e ROUDINESCO, E. De que amanhã… diálogo? Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2004.
Capítulos de livro: LINS, M. I. O saber psicanalítico: uma questão também de ética. In: FRANÇA, M. I. (org). Ética, psicanálise e sua transmissão. Rio de Janeiro: Vozes, 1996.
Artigo de revista científica: BARROS, R. R. A pequena diferença entre pele e espinho. Ágora. 1,1,1998.
Trabalho apresentado em congresso com publicação em anais: BARROS, R. M. M. A psicopatologia da educação e o retorno à barbárie. V
Colóquio do LEPSI. (p. 26). São Paulo: USP, 2004. Monografias, dissertações ou teses: CRUZ, A. B. L. Amok: feminilidade e clínica. Tese de Doutorado. Curso de Pós-graduação em Saúde Coletiva. Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro: 2002.
7 – Endereço para encaminhamento de trabalhos: Os originais para publicação deverão ser enviados para o seguinte endereço:
Revista Actas Freudianas Rua Oswaldo Cruz, 68 – Santa Helena 36015-430 – Juiz de Fora – Minas Gerais Telefone: (32) 3218-3263 sepjf@acessa.com